Hey guys! Passado 2 anos voltei a Cuba, ao meu destino favorito. E agora que voltei, continuo a dizer o mesmo. Viajar é muito mais que estar em sítios bonitos e paradisíacos, que ficam bem na fotografia e que dão para descansar. Pelo menos para mim. Viajar significa conhecer pessoas, conhecer culturas, sair da minha zona de conforto, conhecer cores novas e histórias, muitas histórias. Sei que a viagem correu bem quando entro no avião e sei que vou voltar mais cedo ou mais tarde. Partilhei com muito gosto no meu Instagram cada detalhe desta aventura, e agora chegou a hora de revelar-vos os rolos que levámos e também deixar aqui escritas algumas dicas para quem se sentiu influenciado a fazer esta viagem. E espero que tenha conseguido isso! 

Os primeiros pontos de quando viajamos para Cuba: 
– Fazer o visto com alguma antecedência pois é enviado por carta para casa. Em Havana conhecemos um grupo de portugueses que nos perguntou quanto pagamos pelo visto. Nós pagamos 32€, eles tinham pago 80€ e pouco. O visto era válido mas no entanto foram “roubados” por assim dizer. Deixo aqui o link de onde eu fiz o meu visto. 
Dinheiro: só podemos trocar o dinheiro quando chegamos ao aeroporto, e sempre que levantamos dinheiro nas caixas multibanco de lá, pagamos 7€ de taxa! Portanto conselho de amiga: levantar tudo de uma vez. O Revolut não funciona em Cuba. 
– Levar adaptadores de fichas, iguais aos dos Estados Unidos. 
Wi-fi: quem trabalha com internet esqueça. Avisem os patrões que vai ser impossível fazer seja o que for. Pagam cerca de 1,50€ por 1 hora, através de um cartão com internet que vos vendem na rua ou em hoteis. A net é muito fraca. 

A nossa ideia inicial era alugar um carro e percorrer a ilha, mas decidimos alugar o carro lá e “lixamos-nos”.
O ideal será alugarem o carro com 1 mês (ou mais) de antecedência pela internet. Os preços médios por dia para o aluguer de um carro é de 90€  (+ combustível). 
Nós fizemos à mesma a viagem planeada: Habana – Viñales – Playa Larga – Trinidad – Habana. E fizemo-lo sempre em táxis colectivos ou particulares, dependendo da disponibilidade. O mais caro que pagámos por viagem foi 25€ por pessoa, de Trinidad para Havana que é de facto uma grande distância. 

Fui viajar com dois amigos, o que facilitou a estadia, porque ficávamos sempre num quarto para os 3. Ou com 3 camas individuais ou 2 de casal. 
Em Havana pagámos cada um cerca de 7€ por noite, e ficámos 3 noites. Para quem não conhece a cidade aconselho a ficar 4 ou 5 noites! Da última vez que fui, os meus cabeleireiros do Toni&Guy deram-me o contacto de um cubano – o Manolo – que alugava quartos. Então voltámos a ficar com ele, um amor! Quem quiser, partilho o contacto. No centro de Havana velha, num prédio típico. Nada de hotéis e zonas turísticas. O mais puro possível por favor. 

Para comer:

Existem duas vertentes. Conseguem comer muito barato, tipo 3€ por refeição. Como conseguem comer por 10€, mas é raro passar dos 10€.
Deixo-vos aqui alguns restaurantes: 
Cayejone d Jame – tem um restaurante muito bom com comida típica, e também é um sítio muito giro, cheio de arte.
Flor de loto – muito barato e muito bom. Doses gigantes! Cada um de nós pagou cerca de 5€ e valeu muito a pena. Marioritariamente comida chinesa. 
Para sair à noite, bailaaar: Fábrica de La Arte. Entrada 1,50€ por pessoa. Tem vários pisos com diferentes géneros musicais. Muuuuito cool.
Perto de Havana também têm praias muito bonitas. A que nós fomos chama-se Mar Azul. Dividimos os 3 um táxi para lá e pagámos 4€ cada um. Também é bom para almoçar. Têm mesas postas na praia mesmo à beira de água, com peixe fresco e água de coco. Os menus rondam os 10€.
De Havana partimos para Viñales num táxi colectivo. Eramos 5 pessoas dentro do carro. Cada um de nós pagou cerca de 20€.

VIÑALES

Viñales é interior, é campo, é natureza, é pureza. Ficamos na Cabaña Realidade, que encontrámos no AIRBNB. Foi uma família que nos acolheu, e as condições eram óptimas, já para não falar do ambiente. Uma casa no meio do campo, com um “jardim” sem fim. Vista para os montes, e cabras bebés para nos darem os bons dias. Acordávamos sempre com os galos (literalmente) mas valeu muito a pena. Estávamos num quarto os 3, e pagámos cerca de 12€ por duas noites. Mais 4€ pelo pequeno almoço DELICIOSO que a senhora nos preparava. 

Em Viñales é obrigatório fazerem um passeio de cavalo pelo Vale do Silêncio. Não só passam por paisagens lindíssimas, como ainda conhecem plantações de café e o processo do tabaco. Pagámos cerca de 13€ cada um, por 3h. Por coincidência, fomos a meio da tarde, já por volta das 16h. Vimos o por do sol, e fizemos o caminho de volta já com tudo tudo escuro. Nunca vi um céu tão estrelado na minha vida. Não via a paisagem, não via nada de nada, mas íamos todos espantados em cima dos cavalos, quase a torcer o pescoço a apreciar o céu estrelado. Foi um misto de sensações muito boas.
Nós optamos por ficar apenas 2 noites mas também nos aconselharam a fazer a Tour pelo Vale Palmerito, e outra coisa que fica para uma próxima: SLIDE pelo meio dos vales! 15€ por pessoa. Perguntem lá aos locais. Não vos sei dizer mais que isto, mas falaram-me e ficou na cabeça. 

Para almoçar:

Balcon Del Valle – Sim, almoçar e não jantar, ou comer. Porque a vista é de cortar a respiração, têm de apreciá-la como deve de ser. Comida típica cubana, bem servido e muito bom. Uma média de 8€ por pessoa.

Playa Larga

De Viñales fomos para Playa Larga, num táxi coletivo, em que pagamos 25€ por pessoa.
Pessoal: NEGOCIAR SEMPRE o valor dos táxis! Nós nunca aceitamos o valor à primeira, nunca. Eles baixam sempre. Honestamente, Playa Larga para mim foi só um sítio de passagem.
De facto ficámos apenas 1 noite, mas não achei nada de especial. Quer a cidade em si, quer as praias lá. Mas foi uma paragem antes de chegarmos a um dos sítios mais bonitos onde já estive! Mas já lá vamos (cof cof).
Em Playa Larga é muito fácil encontrarem as praias, são poucas. Para comer, quer jantar quer almoçar, aconselho o Restaurante Sol y Caribe, e quem lá for, que mande um beijinho nosso ao Leo e ao Raimon. Continuando… Abandonado Playa Larga, mais um táxi! 

Trinidad

Já lá vamos… Trinidad, com paragem em Cueva de Los Peces (manhã) e Punto Perdiz (almoço e tarde). – Taxi colectivo: 25€ cada um. Viagem até Trinidad com as duas paragens.
O taxista esperava por nós, o tempo que nós quisessemos. Este dia rendeu muito muito!
Cueva de Los Peces: de um lado da estrada têm este lago INCRÍVEL. Têm de levar óculos de mergulho! Também alugam lá, mas se tiverem em casa, fica já o conselho.E do outro lado da estrada: mar. Pegas nos óculos de mergulho, vais nadar, e quando dás por ti, estás no meio de milhares de peixes! Uma cena inexplicável. 

Punto Perdiz é quase como um mini resort. Tem de se pagar entrada sendo que a entrada tem almoço (buffet) incluido, e bebida à descrição com direito a pulseirinha. 12€ por isso.É bonito, é praia para relaxar, para mergulhar de roxas e nadar em alto mar!

Trinidade

Em Trinidad ficámos 3 noites, em que pagámos 13€ cada um pelas três noites! Ou seja, cada um pagou cerca de 4€ por noite. Achámos a casa da senhora no Airbnb. Mas não fiquem admirados, em Trinidad os preços são todos deste género. E a senhora era um amor; as condições eram boas.
Estávamos a 10min a pé do centro, mas como as noites são quentes e queremos é explorar, não fez mal. Os preços que vos digo, nenhum deles tem pequeno almoço incluido. Isso era sempre à parte, mas rondaram sempre os 4€ por pessoa e pequenos almoços dignos de hotéis!

m Trinidad têm cascatas muito bonitas! El Nicho dizem que é a mais bonita mas ficava já longe e como ainda se pagava 15€ de entrada não quisemos ir.
Optamos por ir ao Parque El Cubano, com direito a passeio a cavalo (em que eu desta vez dispensei e fui de carroça e não paguei mais por isso eheh) e ainda conhecemos uns trilhos incríveis com final na cascata. E pagámos 13€ cada um.

Perto de Trinidad também têm a Playa Ancon que é lindíssima, onde por 10€ vão passear de catamarant e ver os corais no fundo do mar! De Trinidad para esta praia pagámos cerca de 4€ ida e volta por pessoa. 

Para comer: Restaurante San José! ÓPTIMO! Média de 10€. Quem quiser uma refeição de 4€ deixo o restaurante El Pátio de Gomez (que não se compara ao San José) mas para poupar trocos dá jeito. 
Para bailaaar: La Cueva. Uma discoteca numa gruta natural!! Só para apreciadores de Reggaeton, aviso já. Apesar de ser numa gruta natural e no meio do campo, a noite aqui é mais cara. A entrada foi 4€ não consumiveis.

Back to Havana!
Mais um táxi colectivo, de Trinidad para Havana, 5h de viagem: 20€ para cada um. BEM NEGOCIADO. 

Foram 10 dias muito bem passados. Cansativos mas rendeu muito. Fiquei a gostar ainda mais desta ilha tão especial e tão pura.
Espero ter-vos ajudado.
Estas fotografias são todas analógicas e foram tiradas a pensar em vocês. Tentei ajudar-vos com o roteiro o melhor possível.
Deixem o vosso feedback aqui em baixo em comentário, é muito importante para mim! Assim como questões que tenham. 🙂
XX

Share:
Reading time: 8 min

Heyy guys!
Há cerca de duas semanas, fui passar o fim-de-semana ao Porto com uma amiga. Sem dúvida que o nosso país é lindíssimo e tenho um grande carinho por esta cidade. Divirto-me imenso sempre que lá vou, e as pessoas… oh as pessoas do Porto! Deixam-me de coração cheio, sempre. 
Já conheço esta cidade simpática há uns bons anos, e sempre que lá vou fico impressionada com os sítios novos que descubro. Em cada canto há um restaurante ou café novo, e espaços muito muito giros. 
Como o Porto é uma cidade pequena, os sítios a visitar acho que são óbvios, ou simplesmente a caminhar se descobre a cidade. Portanto, achei que faria sentido partilhar com vocês bons spots para um brunch, um almoço, um jantar, e até mesmo cocktails!
Mas antes disso tudo… where to stay:

Villa Mouzinho – Apartments & Suites
Como já tinha dito antes, para mim é essencial sentir-me confortável no sítio onde fico a viajar. 
Desta vez, fui muito bem recebida num apartamento muito simpático numa zona super central – a 2min a pé da Estação de São Bento. 
Estávamos muito bem instaladas, para além de muito fotogénico era muito acolhedor, e com certeza será uma opção para uma próxima vez. Deixo-vos aqui o link, onde podem ver os outros apartamentos e suites Villa Mouzinho. 

Thapi – sem dúvida, a melhor tapioca que já comi! Estou mesmo a ser honesta. Adoro tapiocas, mas às vezes parece que falta algo a nível de sabor. Quando acabei de comer esta, apetecia-me mais uma! Para além disso, fica num sítio com lojas muito cool.

Kyoto na Baixa – Tanto eu como a Balu, nunca dizemos que não a sushi, e mal chegámos ao Porto fomos experimentar o Kyoto. Sushi bom, algumas peças improváveis mas saborosas, e no final têm de experimentar o Cheesecake.E agora vamos falar de brunch… ok, um bom brunch pode ter muita coisa, mas panquecas é essencial. O Diplomata é especialista em panquecas. Vocês escolhem o tipo de massa que querem – nós optámos por panquecas de mirtilos – assim como os toppings, a fruta, todo o tipo de acompanhamento para as vossas panquecas não se sentirem sozinhas (nem o vosso estômago!). Simplesmente deliciosas.Seja a beber um café, um copo de vinho ou mesmo um copo de água, o final de tarde na zona da Ribeira nunca desilude.
Encontrámos um artista de rua a tocar mesmo à nossa frente, e fascinadas pela voz dele e pela vista, não saímos dali durante umas boas horas.E depois de um longo dia, chega ao final da tarde e já só pensamos no sítio para jantar, correcto?
Fomos jantar ao Mistu. Tenho pena de não ter tirado fotografias ao espaço porque é sem dúvida um restaurante muito cool, muito bem frequentado e a comida é cinco estrelas (para não dizer mais). Pratos portugueses essencialmente, muito bem confeccionados. A ideia é escolhermos vários pratos – nós éramos duas e escolhemos 4 pratos diferentes, porque as doses não são muito grandes, e assim partilhámos e experimentámos várias coisas. Não houve nenhum que desiludisse.
Para além disso, é um óptimo sítio para beber um cocktail antes de ir sair. Começámos o jantar com um Expresso Martini, e assim o acabámos.Noshi Coffe – Depois de uma noite longa e alguns cocktails pelo meio, foi hora de optar por um sítio mais saudável para repor energias e para “limpar” o corpo. O Noshi é um café/restaurante muito acolhedor – também na baixa do Porto como todos os outros – de pratos leves e vegan.
Eu, pessoalmente, adoro comida vegan e saudável, portanto fica a dica para quem partilhar da mesma opinião. Já tinhamos ouvido falar do Consulado, e não queríamos voltar para Lisboa sem dar lá um saltinho. É uma casa de brunch, mas quem diz brunch diz almoço e diz lanche, certo? Muito bom, e o espaço muito bem conseguido. Restaurante LSD – Só de ver estas fotografias fico com apetite. Tão mas tão saboroso. Vou-vos dar a descrição do meu prato (da direita) para tentarem imaginar o quão bom era: “Corvina em cama de arroz de espargos e lima, servidos em molho de bisque.” – God!!! Vi isto na ementa e não pensei duas vezes.
Estou neste momento no sofá, já jantada, e só me apetece voltar a todos estes sítios incríveis.
Sempre que vou viajar, faço um “estudo” dos restaurantes que andam na berra e claro, que me aconselham. A minha dica fica aqui, e se algum/a de vocês seguir as minhas sugestões, deixem aqui em comentário a darem feedback!
Xx

Share:
Reading time: 4 min

Heyy guys!
Há umas semanas fui até Londres pela primeira vez. I know, como assim tenho 23 anos e nunca tinha ido a Londres até a umas semanas atrás? Bem, mas aconteceu! E venho partilhar com vocês algumas dicas relativas à cidade e mostrar-vos os sítios por onde andei.
Começo já por um dos pontos mais importante: hotel.
Fiquei no Pestana Chelsea Hotel, e para ser honesta, custava muito deixar a cama nas manhãs. O quarto era muito acolhedor, uma cama muito confortável que é super importante em viagem, e uma vista agradável.
O restaurante do hotel também era excelente e sempre muito bem atendidos – eu era aquela que optava sempre por buffet, porque adoro buffet!

Depois de abandonar estes lençóis divinais e depois de um pequeno almoço reforçado, deixámos a zona de Chelsea e fomos até Notting Hill, que foi sem dúvida o meu sítio favorito. Que já toda a gente conhece right?

Entretanto, deixem-me partilhar com vocês isto: quando fomos passear até Notting Hill, foi a um Domingo. Vou ser honesta e não me julguem pela “ignorância”: não sei se era especificamente por ser Domingo, mas estava a haver uma feira com coisas muuito fixes à venda. Portanto, sendo Domingo ou não, procurem isto!!


Passeando pelas ruas de Londres, encontrámos este restaurante, de comida rápida mas que já tinha sido aconselhado por amigos meus! “The Athenian”, fica a dica. Vejam o site e vão ver que vão querer experimentar!
Nota: não, eu não ia comer esses dois “pratos” de batatas fritas, simplesmente não entenderam que queria substituir as batatas doces pelas normais. (achei que me devia justificar ahah)

A caminho da London Tower, que é um clichê mas lógico que vale a pena… Uma dica de um restaurante muito bom para irem: Emilia’s Pasta.
Para quem gosta de comida italiana, é um restaurante muito acolhedor, com uma vista muito agradável, e honestamente foi o nosso porto de abrigo depois de muitas horas à chuva. Um vinho tinto e pasta que nunca souberam tão bem!

Camden Market é sítio obrigatório para ir!! Não tenho fotografias porque já estava muito escuro e estava numa de me entreter por aqueles corredores… mas é sem dúvida um mundo! Muitas banquinhas de roupa vintage para quem gosta, e cenas muito alternativas que vale a pena ver.
Outro tipo de “mercado”, Covent Garden. Para além da zona ser muito gira e interessante para explorar, também é uma zona comercial, com um shopping super bonito (fotografia a baixo).

Estive apenas 3 dias em Londres e tenho a certeza que ainda faltou muito para conhecer!
É lógico que conheci muito mais do que o coloquei aqui, mas infelizmente com o frio e a chuva não estava muito no mood de tirar fotografias. De qualquer maneira encontram mais fotografias nos meus stories no Instagram, criei um Highlight de “LONDON”.
Espero que tenham gostado! Deixem comentários aqui com o vosso feedback. ♥

Share:
Reading time: 2 min
Page 1 of 1112... »